Monthly Archives: Novembro 2011

Meo go Meo go Meo go

Padrão

Quem ainda não ouviu falar do Meo Go? Eu já e muito, ainda não tinha sido lançado e já eu ouvia… o meu Home está lá!

Agora a música de Natal mais pirosa dos últimos tempos, com os Gato Fedorento à mistura, que primeiro estranha-se…. depois entranha-se!! Meo go Meo go Meo go…

Anúncios

A semana

Padrão

A próxima semana é a semana.

Esta passou tão lentamente, misturada de ansiedade e nervosismo, porque não gosto de esperar, porque detesto indefinição.

Tanto a nível profissional como pessoal, posso chorar ou posso respirar de alívio, posso sentir frustação ou uma alegria enorme. Parece que digo tudo, mas ao mesmo tempo, não digo nada.

Porque gosto de rotinas, gosto do estável e gosto de me sentir bem. E gosto de sentir que estou a crescer.

Mas neste momento não sei nada, quer do trabalho quer do meu projecto pessoal, por isso vou fazer aquilo que não me agrada mas a que sou obrigada, esperar.

Dream a little dream of me

Padrão

Sinto que começo a tornar-me um pouco repetitiva ora com as músicas da Aurea, ou da Mónica Ferraz, mas a verdade é que cada novo single me agrada mais.

Desta vez um cover da Aurea, “Dream a little dream of me”, que espectáculo, enaltece o meu espiríto natalício e faz-me ficar tãoo tranquila. Claro que a TMN aproveitou a coisa…

Que grande pinta pá!!!

E a tarde que não passa …

Padrão

É o que me chateia mais, é esta porra de tarde parecer interminável. Parece que voltei do almoço há eternidades, e ainda nem 17h são!!! Será que o meu relógio parou ? Olho à minha volta e parece que está tudo a jogar ao “Congela”, lembram-se disto?

Alguém gritava “CONNGELAAA”, e ficavámos todos quietos, pasmados sem nos podermos mexer até nos tocarem e dizerem como que por palavras mágicas “podem descongelar”. Agora que me recordo disto acho um bocado ridículo, mas eram as nossas brincadeiras, estúpidas ou não ficam na memória.

Estou a ver se escrevo para ver se engano o tempo mas nada, continuo na mesma. Oh que cena… (lembrem-se de escrever que andava com a mania do “cena”, pois ainda não passou).

Isto tudo porque.. estou mortinha por chegar a casa!!!!

Apontamentos

Padrão

Coisas que me passam pela cabeça no momento:

  • Está um frio do caraças na rua… e dentro do escritório também,
  • Não gosto de trabalhar de casaco vestido (mas tem de ser… devido ao frio),
  • Comi arroz de pato ao almoço, gosto,
  • Fiquei com azia do almoço (do arroz de pato portanto…),
  • A minha Internet está lenta como tudo,
  • Queria que o tempo passasse mais depressa,
  • Detesto esperar,
  • Gostava de poder ir para casa e por-me a cozinhar,
  • E acabar de mobilar / decorar a casa,
  • Não trouxe guarda-chuva,
  • Continuo com azia e com frio,
  • Tenho de cortar o cabelo,
  • Quero mesmo que o tempo passe.

 

20 de Novembro

Padrão

Há várias datas que nos marcam ao longo da vida.

A primeira é a data do nosso aniversário, do começo do namoro, do dia do casamento, de outros acontecimentos especiais e durante a vida somos preenchidos por essas datas que, de alguma forma, simbolizam um dia que foi importante e nos fazem recordar.

Para mim o 20 de Novembro também é um marco, e diz-me tanto como o dia de casamento. Porque parte da nossa história aconteceu nesse dia.

Foi nesse dia, há dois anos atrás, que anunciámos publicamente que tinhamos decidido começar a morar juntos, e que se diga, para espanto de nínguem. Os meus pais foram de um apoio incondicional e ajudaram-me a “voar”, sem o consentimento deles jamais sairia de casa. E assim me mudei para a tua vida. Recordo-me do passo que foi levar a roupa e começar a colocar as minhas blusas ao  lado das tuas… e aqueles momentos de partilha que não dizem muito, mas valem tanto “Então queres ficar com que gavetas?” E aos poucos, fomos tornando a tua casa até à data despida, no agora nosso lar completo.

Lembro-me também, de passado um ano nós sentarmos para jantar na sala, e eu preocupada.. jantar entrecosto na sala dá aso a muita sujeira! E jantámos porque queriamos comemorar um ano de morada comum, de muita felicidade mútua, de um companheirismo e uma intimidade que ultrapassam quase tudo nesta vida. E foi nesse mesmo jantar, que te levantaste e foste à cozinha buscar qualquer coisa…. E regressaste com uma caixa de rafaellos (os meus bombons preferidos), e te puseste de joelhos e me perguntaste se queria casar contigo… dentro da caixa dos bombons estava um anel… o meu anel de noivado.

Já passou tanto tempo, e ao mesmo tempo, foi ontem e mentalmente tenho tudo nitido como se fosse hoje. Casámos o mês passado. E eu tenho a maior riqueza de sempre, tenho-te a meu lado. Porque, tal como defendes, juntos tudo é mais fácil.

É bom darmos vida a estes dias, 20 de Novembro é já este domingo.

Cena

Padrão

Parece que viagei no tempo, e voltei ao básico. Volta não volta saem-me expressões que não têm de todo nada a ver comigo.

O “bué” e o “fixe” esse colou, mas colou comigo e com a generalidade da população independentemente da faixa etária, no big deal. Agora o que me custa é voltar a dizer por tudo e por nada “cá cena!!” ou então o famoso… “granda cena!!!”

Falo com o meu Home, ele comenta-me qualquer coisa e eu respondo automaticamente…. “granda cena pá”!!! O meu lado calão reprimido está-se agora a revelar … é caso para dizer: que cena!!!!